Estas 5 comunidades contemporâneas são totalmente governadas por mulheres

Publicidade Anuncie

Assim como em quase todas as áreas, a dominância masculina no mundo da política não é diferente. Mesmo que as mulheres se esforcem ao máximo, os cargos mais importantes nos países desenvolvidos (e subdesenvolvidos também) acabam sendo dominados pelos homens, sendo a presença feminina praticamente nula neste ambiente.

Salvo raríssimas exceções, como o caso de Angela Merkel, primeira ministra alemã, Michelle Bachelet, presidente do Chile, e Theresa May, primeira-ministra britânica, os países acabam sendo lideradas por políticos do sexo masculino, e o impacto disso na sociedade como um todo é imensurável.

Mas, por incrível que pareça, ainda existem algumas comunidades contemporâneas totalmente matriarcais. São locais governados por mulheres que não somente comandam o local, como também herdam as terras e educam os filhos sozinhas, por exemplo.

Confira abaixo alguns destes locais, em uma seleção feita pelo site The Plaid Zebra:

1. Bribri

Trata-se de um pequeno grupo de 13 mil indígenas que moram no cantão de Talamanca, na província de Limon, na Costa Rica. A população é organizada em pequenos clãs, que são determinados pelo clã que pertence a mãe de um filho. Aqui, apenas as mulheres podem herdar terras e têm o direito de preparar o cacau, que é usado em rituais sagrados de Bribri.

2. Nagovisi

O povo Nagovisi vive em uma ilha a oeste de Nova Guiné. As mulheres são fortemente envolvidas em liderança e cerimônias. Elas têm direito à terra e se orgulham de trabalhar nela. Um dos aspectos mais revolucionários desta sociedade é que o casamento não está institucionalizado. Isso significa que casamento e jardinagem são mantidos no mesmo padrão. Se um casal é sexualmente íntimo e o homem ajuda a mulher em seu jardim, eles são considerados casados.

3. Akan

Akan é uma população maioritária de Gana. A sociedade é construída em torno de um sistema no qual toda identidade, riqueza, herança e política são predeterminadas. Todos suas fundadoras são do sexo femininos. Embora os homens estejam tipicamente em cargos de liderança nesta sociedade, os papéis herdados são transmitidos através da mãe ou das irmãs de um homem. É dever dos homens apoiar suas famílias, bem como as de seus respectivos parentes.

4. Minangkabau

Os Minangkabau vivem no oeste de Sumatra, na Indonésia, e são compostos por 4 milhões de pessoas – a maior sociedade matriarcal do mundo. Eles acreditam que as mães são as pessoas mais importantes da sociedade, e isso impõe ao direito tribal que exige que todas as propriedades sejam transferidas de mãe para filha. As mulheres governam internamente, e os homens assumem funções de liderança política e espiritual. Após o casamento, as mulheres recebem seus próprios aposentos, e o marido precisa acordar cedo pela manhã para tomar café da manhã na casa de sua mãe.

5. Mosuo

O povo Mosuo vive perto da fronteira do Tibete, e talvez seja a sociedade mais matrilinear do planeta. A propriedade é concedida para a mulher, e as crianças são criadas para levar o nome da sua mãe. Como a tribo Nagovisi, não existe uma instituição de casamento. As mulheres escolhem seus parceiros caminhando para a casa do homem. Os casais nunca vivem juntos. Desde a infância, eles são criados exclusivamente por suas mães, o pai tem um pequeno papel em sua educação, e muitas vezes sua identidade é desconhecida. As responsabilidades masculinas de educação infantil permanecem em sua casa matrilinear.

Via Hypeness

0 I like it
0 I don't like it