3 anos após falecimento da irmã ele criou um vídeo para realizar o sonho de tocar com ela

Publicidade Anuncie

Mauricio Gobbi sempre sonhou em tocar ao lado da irmã, Aline Mariê Gobbi, artista plástica, fotógrafa e musicista. Os planos iam sendo adiados até que um acidente de trânsito ocorrido em 2014 em Florianópolis (SC) interrompeu o sonho, levando a vida de Aline com apenas 28 anos.

Nesta quinta-feira, 12, a jovem estaria completando 31 anos. Para prestar uma homenagem à data e realizar o desejo de tocarem juntos, Mauricio encontrou uma solução criativa: um vídeo em que o som da voz e um violão tocado por Aline se misturam a instrumentos tocados por ele.

A ideia do vídeo surgiu como se sente a saudade; aquela vontade de estar junto da pessoa que amamos, admiramos, e que gostaríamos que estivesse ao nosso lado. Sempre tive a vontade de tocar com a minha irmã e algumas poucas vezes nós tocamos, porém nunca registramos em vídeo. Também surgiu da vontade de disseminar a sua obra e de eternizar a memória da minha doce irmã bem como de prestar uma homenagem na qual a família e amigos pudessem sentir um pouco do que eu sinto“, descreve.

As imagens demoraram 10 meses para ficarem prontas, entre a gravação da música e produção do vídeo, tempo em que Mauricio se sentiu ainda mais conectado com a irmã. Espia só o resultado dessa linda homenagem:

The Adobe Flash Player is required for video playback.
Get the latest Flash Player or Watch this video on YouTube.

Em 2003, Aline havia escrito um texto intitulado “Quando eu morrer“, em que falava sobre como gostaria de ser lembrada após a morte. “Não quero ser lembrada com nostalgia e lágrimas nos olhos. Mas com saudade e certeza de que minha existência não foi em vão, de que pude deixar algo de bom e de que fiz tudo valer a pena“, escreveu ela na ocasião.

O texto completo foi divulgado na página da artista no Facebook. Criada por Aline ainda em vida, a página é hoje administrada por Mauricio, assim como um perfil no Instagram criado por ele para divulgar os trabalhos da irmã. “É uma forma de manter a sua memória sempre viva“, comenta.

Acredito que atitudes como essa auxiliam as pessoas a suportar melhor a ausência física de pessoas queridas“, diz Mauricio sobre a homenagem, “Tenho ciência absoluta que a minha irmã segue a sua jornada em outra dimensão“.

Se depender do irmão, o legado de Aline continuará sendo divulgado. “A minha casa é forrada de suas obras, não há um dia sequer que eu não me lembre dela. Ela vive dentro de mim e é minha grande inspiração. Só agradeço por ter tido a oportunidade de aprender e de conviver com uma alma tão iluminada“.

Ouça a música também no Soundcloud:

Via Hypeness

0 I like it
0 I don't like it