Documentário registra dia a dia dos garotos de programa do Japão

Publicidade Anuncie

A legislação japonesa proíbe a prostituição. A lei, no entanto, menciona diretamente somente o sexo pago entre homem e mulher, sem qualquer menção ao sexo entre dois homens.

Dessa brecha nasceu a cultura dos “urisen”, bares de prostituição masculina que, apesar de “legalizada”, se afirma como uma subcultura, escondida embora esteja em toda parte – e esse é o tema do documentário “Boys For Sale, ou “Garotos à venda”.

Produzido pelo americano Ian Thomas Ash, que viveu no Japão por 17 anos, o filme adentra esse universo permitido e, ao mesmo tempo, um tanto secreto de tais bares, em grande parte localizados na área gay de Tóquio – conhecida como Shinjuku – entrevistando personagens diretos – os próprios garotos, que explicam o método, os pormenores e o impacto emocional e prático de tal vida.

Shinjuku, a área gay de Tóquio

A entrada de um dos “urisen”

A lista dos garotos de programa em um dos bares

Um dos quartos onde vivem, juntos, os garotos

De forma geral, os rapazes se mostram para cada cliente, que escolhe um deles para um drinque. Caso o desejo ocorre, eles vão a um quarto. Cada profissional ganha 5 dólares a cada 30 minutos.

Segundo Ian, a mensagem mais importante do filme diz respeito à dificuldade dos homossexuais no Japão de viverem em liberdade. Da mesma forma, a dificuldade para se informarem, a respeito dos cuidados, proteções e direitos que possuem. O filme é dirigido e editado pelo artista japonês Itako, e foi lançado recentemente no festival de Tóquio. O trailer de “Boys For Sale” pode ser visto abaixo.

The Adobe Flash Player is required for video playback.
Get the latest Flash Player or Watch this video on YouTube.

Via Hypeness

0 I like it
0 I don't like it