Ele é poeta, novelista, ensaísta, blogueiro e também um jovem com autismo quebrando barreiras

Publicidade Anuncie

A trajetória de escritor do jovem japonês Naoki Higashida, que aos 25 anos já publicou mais de 20 livros em sua língua materna, duas obras em inglês, tendo lançado seu primeiro livro aos 13 anos e sendo intensamente elogiado pela imprensa e pela crítica especializada já é impressionante, mesmo que não consideremos uma nada singelo detalhe: Naoki vive sob a condição de um autismo não-verbal.

 

Sua dificuldade de conversar, porém, definitivamente não impacta em nada sua capacidade de se comunicar através da escrita, indo muito além de qualquer condescendência crítica por conta de sua condição. Naoki de fato recebe elogios enquanto escritor, para além de seu autismo. “O êxito do escritor transcende o seu diagnósitco”, afirma o jornal The Japan Times, para o qual o jovem oferece “perspectivas ricas e profundas sobre ideias que muitos dão como adquiridas”.

 

O subtítulo da edição em inglês de seu último livro, Fall Down 7 Times Get Up 8 (Caia 7 vezes levante-se 8, em tradução livre), parece explicar perfeitamente a posição singular de Naoki como escritor: “a voz de um jovem a partir do silêncio do autismo”. Para o jovem, a linguagem falada é um mar “onde toda a gente nada, mergulha e brinca livremente, enquanto eu fico sozinho, preso num barquinho que balança de um lado para ou outro”. Isso, porém, o faz migrar para a imaginação e a escrita.

Capa da edição em inglês do livro

Para Naoki, a escrita criativa não se trata de usar alegorias ou criar coisas impossíveis, mas sim de “escrever sobre coisas que toda gente sabe, mas pode ter esquecido”. O êxito de sua já prolífica carreira – Naoki tornou-se um autor de sucesso no Japão -, mesmo ainda tão jovem, criou uma mudança crítica determinante na maneira com que o escritor é visto, e que pode impactar em todo olhar sobre o autista e sua possibilidades: se antes Naoki era visto como um jovem autista que por acaso era capaz de escrever, hoje ele já é visto como um escritor que, por acaso, sofre de autismo.

Via Hypeness

0 I like it
0 I don't like it