A ‘melhor professora do mundo’ não acredita em provas e deixa alunos escolherem o que aprender

Publicidade Anuncie

Ainda que saibamos o quanto a criatividade, a autonomia, a iniciativa própria, o discernimento crítico, o conhecimento ampliado e, hoje mais do que nunca, a capacidade de pesquisar sejam habilidades fundamentais para a vida como um todo, as escolas, justo a instituição tão importante na formação das crianças, costumam enquadrar tudo em um método de aprendizado e comportamento restrito, engessado e antigo.

E pior: costumamos ver com desconfiança ou até desprezo os raros professores que desafiam tais métodos e procuram se interessar pelo aluno de fato, e suas capacidades particulares. Mas, felizmente, alguns desses mestres conseguem prosperar – e esse é o caso da professora Nancie Atwell, apelidada de “a melhor professora do mundo”.

 

A professora Nancie Atwell

Tudo começou quando Nancie percebeu que seus alunos não se interessavam especialmente pelos livros ou trabalhos a que ela os obrigava. Pesquisando métodos alternativos, ela se deparou com o trabalho do professor Donald Graves, um entusiasta da capacidade dos alunos de escolher e de se expressar – e tudo então para ela mudou.

Nancie então criou no estado do Maine, nos EUA, o CTL, que em inglês quer dizer Centro de Ensino e Aprendizado, uma escola baseada em uma premissa simples porém revolucionária: a de que as crianças devem possuir poder de escolha – devem aprender por seu próprio discernimento. Na escola de Nancie não existem provas padronizadas, e os próprios alunos escolhem os livros que lerão e o tema dos trabalhos que escreverão.

E não somente: as turmas são pequenas, cada classe possui uma biblioteca, e toda data religiosa e cultural e comemorada sem hierarquia. A ideia é que os alunos são sim capazes de investir por conta própria em seu aprendizado, contanto que suas paixões e curiosidades sejam estimuladas e respeitadas. Cada passo é dado, em cada aula, de acordo com o interesse e o tempo peculiar de cada criança, e o desenvolvimento é registrado e tratado diariamente. Professores e alunos, no fim das contas, aprendem juntos a cada aula.

Quem pensa que tratam-se de ideia malucas que não trazem resultados está profundamente enganado: a escola é um sucesso, com cerca de 75 alunos matriculados, a média de leitura é radicalmente maior do que a média mundial (cerca de 40 livros por ano por aluno) e em 2015 Nancie recebeu o primeiro Global Teacher Prize, uma espécie de prêmio Nobel do ensino.

Nancie recebendo o prêmio das mãos do ex presidente Bill Clinton

O milhão de dólares que ela recebeu será todo revertido para a CTL. Não é por acaso que professores do mundo inteiro viajam a pequena cidade de Edgecomb para visitar a escola: eles também têm muito o que aprender com a melhor professora do mundo, e com seus alunos.

Via Hypeness

0 I like it
0 I don't like it