Marca de cosméticos recolhe lixo dos oceanos e usa como matéria prima para embalagens

Publicidade Anuncie

Mais do que propriamente a utilização do material, o problema por trás do uso do plástico está exatamente em como as empresas o utilizam. Sendo um material altamente resistente e reutilizável – mas que demora séculos para se decompor -, embalagens e outros invólucros em plástico para serem utilizados uma só vez (para depois acabarem no lixo comum, nas ruas ou, como de costume, no oceano) farão com que, conforme mostram pesquisas, em 2050 os oceanos venham a ter mais plástico do que peixes. Para tentar fazer diferença nesse processo de transformar os mares em lixões, a empresa de cosméticos Lush decidiu não só se dedicar à limpeza das águas, como também reutilizar esse plástico.

Em parceria com a fundação Ocean Legacy, a Lush iniciou um processo de coleta de plásticos no oceano. Depois de coletado, o plástico é higienizado e moldado para ser reutilizado como embalagens de sabonetes, condicionadores, xampus e muito mais.

Plásticos recolhidos do oceano pela Ocean Legacy para reaproveitamento pela Lush

Diante das mais de 8 milhões de toneladas de plástico que são dispensadas no oceano anualmente, material para criação de novas embalagens é o que não falta daqui pra frente. A empresa de cosméticos sempre se mostrou ecologicamente mais consciente.

 

Pois a questão, como de costume, sobre a limpeza dos mares sempre foi econômica. Recuperar o lixo e limpar os mares sempre foi considerado um investimento desperdiçado, visto que não voltaria rapidamente em dinheiro.

Com a reutilização de tais plásticos, e se a única linguagem que lamentavelmente o ser humano compreende é a do bolso, quem sabe a iniciativa da Lush não se transforma em exemplo, salvando não só o custo de novas embalagens, como a vida nos mares e de tantos animais – incluindo o ser humano. O futuro do planeta agradece.

Via Hypeness

0 I like it
0 I don't like it