A solidão humana na companhia de aparelhos eletrônicos em pinturas impactantes

Você já ouviu falar em nomofobia? Trata-se do medo de não ser capaz de se comunicar através de celular ou computadores. A tecnologia nos traz possibilidades incríveis e reduz distâncias, mas também pode nos afastar de relações físicas. Foi pensando em tudo isso que o artista plástico brasileiro Afa Vasquez criou a série Solidão Programada.

São sete pinturas a óleo sobre tela em que pessoas interagem com equipamentos tecnológicos, sendo iluminados apenas pela luz que eles emitem – na única exceção, um homem olha para o expectador, “livre para encarar a solidão”. O nome é inspirado na obsolescência programada, processo em que produtos já são criados pensando em serem substituídos.

Para o artista, a rapidez com que as coisas se tornam descartáveis também é vista nas conexões pessoais. Elas se tornam mais superficiais e duram pouco, muitas vezes resultando em solidão, que pode ser preenchida com a sensação de proximidade que os aparelhos eletrônicos nos trazem.

Afa Vasquez ressalta que também é usuário da tecnologia e que não a considera necessariamente negativa, mas acredita que é necessário parar para refletir sobre a relação que temos com ela. “A internalização, e não a distração, é uma forma de transcendência a partir da qual se pode desenvolver uma melhor forma de interagir com as pessoas e o mundo”, resume.

Fotos via Afa Vasquez

Via Hypeness

0 I like it
0 I don't like it