Empreendedorismo: coragem, planejamento e mão na massa

Este ano, uma pesquisa realizada pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) apontou que dois em cada três jovens brasileiros pretendem empreender nos próximos anos. A principal motivação é encontrar a satisfação pessoal no trabalho, o que para muitas pessoas não é possível quando se tem o tão falado “emprego estável”.

Mas se empreender se tornou um objetivo altamente desejável, isso não significa que tenha ficado mais fácil se dar bem no mundo dos negócios. Pelo contrário: todos concordam que o caminho para o sucesso é árduo, repleto de altos e baixos e de que a ideia de que você trabalhará menos quando “não tiver um chefe” é pura balela.

Mesmo assim, o empreendedorismo que é fruto de  uma boa ideia, planejamento e muita perseverança não falha. Pois é, tem aquela história de que a cada 10 empresas, seis fecham antes mesmo de completar cinco anos. Mas será que existe uma fórmula certa para não entrar para essa estatística?

A Funders and Founders criou uma série de infográficos que prometem ajudar os empreendedores nessa tarefa. As imagens retratam desde dicas para dormir melhor (assunto importantíssimo quando se tem tantas responsabilidades) até informações sobre como trabalhar mais rápido ou ser produtivo em cafés.

Fotos © Funders and Founders / Foto destaque: Álvaro Serrano

Você encontra a tradução dos infográficos acima e de muitos outros nessa matéria que fizemos sobre o assunto e que promete inspirar quem ainda está dando os primeiros passos no mundo do empreendedorismo. Com informações rápidas, elas caem com uma luva para quem não tem tempo para nada.

E, sim, uma das coisas sobre as quais as pessoas mais reclamam após dar início ao seu próprio negócio é justamente a correria da rotina – e foi pensando nisso que a australiana Fiona McIntosh investiu em um serviço de beleza voltado para mulheres sem tempo.

Fiona deixou seu trabalho como editora-chefe da revista Elle para lançar o bar de beleza Blow LTD em Londres, onde vive, em 2013. O espaço oferecia diversos serviços de beleza com duração máxima de 30 minutos, incluindo escovas, manicure e maquiagem. O sucesso foi tanto que a empreendedora criou também um app de beleza, em que as usuárias podem solicitar os serviços diretamente em casa ou no escritório.

Fotos: Reprodução Facebook 

Se antes ela já era muito bem-sucedida no mundo dos negócios, com a start-up Fiona pode enfim trabalhar exatamente com aquilo que gosta e fazer a diferença na vida de muitas mulheres que tem dificuldade em manter a rotina de beleza em dia, mas não abrem mão de estar sempre impecáveis. Tudo isso criando um negócio que já tem um valor estimado em mais de £10 milhões contamos mais dessa história aqui.

As mulheres realmente empreendem mais do que os homens, como mostra um estudo realizado pelo Sebrae. E muitas delas fazem isso pensando em negócios voltados justamente para outras mulheres. Assim como Fiona criou um serviço de beleza a domicílio, a ex-boia-fria Sabrina Nunes investiu em um e-commerce de semijoias que se tornou o maior do setor no Brasil.

Foto: Divulgação

Nós contamos recentemente a história de superação da moça, que começou a vida cortando cana e é hoje uma empreendedora de sucesso. O e-commerce criado por ela, o Francisca Joias, começou com um investimento de apenas R$ 300 e hoje já conta com mais de 500 revendedoras espalhadas por diversas cidades do país. O site da empresa tem cerca de 3 mil peças à venda e não para de crescer!

Sabrina não é a primeira a começar com um negócio em pequena escala e ver seu sucesso ser alavancado rapidamente. Em novembro nós contamos a história da curitibana Dircilene Ventura, que criou seu primeiro buquê de coxinha a pedido do filho, que queria presentar a namorada dessa forma tão romântica. Depois de postar uma foto em um grupo no Facebook, ela passou a receber tantos pedidos que decidiu transformar a brincadeira em negócio.

Fotos: Reprodução Facebook

Veio em boa hora: Dircilene estava desempregada e aproveitou a criatividade para driblar a crise. E o negócio cresceu. Hoje, ela já disponibiliza buquês de outras delícias bem brasileiras, como brigadeiro, beijinho e até de costela assada. O tradicional, feito com 30 coxinhas, sai por R$ 65 e a entrega é grátis em Curitiba.

E as coxinhas parecem ser mesmo um grande sucesso no mundo empreendedor. Quem também está ganhando dinheiro com o salgado é o Gilberto Poleto. A história dele fez sucesso aqui no Hypeness quando contamos sua trajetória, em 2015. Ele já importava máquinas para produção de massa de pizza e, quando perdeu o emprego em 1993, decidiu adaptar o maquinário para produzir a paixão nacional – e foi assim que surgiu uma genial máquina de coxinha! A empresa criada por ele, a Bralyx, trabalha hoje com diversas máquinas do gênero, que fazem de coxinhas a cupcakes – e tem um faturamento anual de R$ 50 milhões.

Outro negócio bem brasileiro é a plataforma de compartilhamento de bicicletas WeBike, que hoje se transformou no app Loop. O projeto foi criado pelos amigos Alexandre, Fábio, Lorenço, Martha e Ricardo, de Porto Alegre. Juntos, eles desenvolveram um aplicativo de compartilhamento de bicicletas entre usuários, que deve estar disponível para o público da cidade em breve.

A ideia é que quem disponibilizar sua bike para empréstimo possa usar qualquer outra gratuitamente, enquanto quem quiser só dar algumas pedaladas por aí deverá pagar uma mensalidade, que ainda não foi divulgada. A gente contou mais sobre esse projeto aqui.

Foto © weBike

Por último, pouca gente sabe, mas já é possível empreender legalmente no ramo da cannabis aqui mesmo em terras tupiniquins. Nós fizemos uma reportagem sobre o assunto recentemente mostrando como o setor pode ser lucrativo e gerar negócios inovadores. Calma, a gente não está falando de sair plantando maconha por aí – pelo menos não abertamente E enquanto ela não for descriminalizada, né?

Mas tem sim muita gente que já está ganhando dinheiro com produtos relacionados a esse mercado, vendendo seda, bong, filtros, estufa, adubo… Tudo para quem quer fumar ou plantar a erva por aqui. Assim, quando a sonhada descriminalização vier, o mercado já vai estar preparado para ela. Foi em 1993 que surgiu a primeira loja de artigos relacionados à maconha aqui no Brasil, a Ultra420, que continua com um público fiel e crescente até hoje, mostrando que qualquer área pode ser terreno fértil para empreender quando se sabe usar a criatividade.

Foto: Ultra420

Aqui no Hypeness nós sempre fomos apaixonados por estas histórias de pessoas que criaram coragem para tirar suas ideias do papel e lançá-las no mundo real. São empreendedores como a Fiona, a Dircilene ou o Gilberto que usam sua criatividade para transformar suas vidas, muitas vezes encontrando forças para seguir em frente nos momentos mais difíceis.

Pode ser aquele empreendedor que viu na crise uma oportunidade ou mesmo aquele que largou uma carreira de sucesso para começar do zero o seu próprio negócio. Em comum, todos eles têm suas próprias histórias de erros e acertos profissionais, de muita perseverança e de como é proveitoso colher os frutos das próprias ideias. São histórias como estas que nos movem e fazem com que o espaço do Hypeness seja sempre repleto de relatos sobre empreendedorismo.

Via Hypeness

0 I like it
0 I don't like it