Já abriu a exposição do Nirvana no Rio de Janeiro com mais de 200 itens icônicos da banda

Em 1991, o marasmo do cenário pop e do rock de então foi finalmente derrubado a coices, por uma banda que reunia as melodias dos Beatles e a sujeira e a agressividade do Sex Pistols em uma mesma perfeita embalagem. O título da exposição que contempla a importância da carreira da banda americana Nirvana é preciso para explicar tal revolução. Nirvana: Taking Punk To The Masses (Nirvana: Levando o Punk às massas) reúne no Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro, mais de 200 peças emblemáticas ligadas à banda de Kurt Cobain e a história da última banda verdadeiramente histórica do rock mundial.

É difícil supor hoje alguma banda que possa suscitar sequer o interesse que justifique a realização de uma exposição – mas basta olhar algumas imagens da exposição em outros países para se ter certeza que a aura ao redor do Nirvana e sua história fazem dessa uma das mais interessantes exposições de música a virem ao Brasil.

Pois, se de fato o Punk, sua ética, seu som, sua intensidade já existiam e tinha sua importância histórica confirmadas nos anos 1990, foi através do Nirvana que tal revolução chegou aos jovens do mundo todo – aos milhões de desajustados que precisavam se ver representados de verdade nos seus heróis.

Entre cartazes, instrumentos, roupas, fotos e vídeos, a exposição contempla a carreira do Nirvana desde seu início, em 1987, até 1994, quando Kurt Cobain encerrou a própria vida e a trajetória de sua banda.

Nirvana: Taking Punk To The Masses teve início no último dia 20 de junho, e ficará no Museu Histórico Nacional até o dia 20 de agosto, e poderá ser visitada todos os dias menos às segundas. Já o legado do Nirvana, esse merece ser visitado todos os dias, pelo resto de nossas vidas.

© fotos: divulgação

Via Hypeness

0 I like it
0 I don't like it