Mãe dá testemunho poderoso sobre como é passar por uma depressão pós-parto

As estatísticas indicam que uma em cada quatro mulheres sofre de depressão pós-parto no Brasil. Mesmo sendo tão comum, praticamente ninguém fala sobre a doença. O tabu em torno do assunto dificulta o acesso a informações e faz com que muitas mulheres que apresentam sintomas de depressão pós-parto deixem de procurar ajuda.

Para aumentar a conscientização sobre o assunto, Kathy DiVincenzo, proprietária do centro de atendimento a gestantes Beyond the Bump, nos Estados Unidos, decidiu falar abertamente sobre como é conviver com o transtorno. Para isso, ela contou com a ajuda da fotógrafa e amiga Danielle Fantis.

Danielle capturou duas fotografias de Kathy: na primeira delas, ela aparece desanimada ao lado de uma casa bastante bagunçada, enquanto a segunda é a imagem das “mães perfeitas” que sempre vemos através das redes sociais. As fotos foram acompanhadas de um desabafo da mãe sobre como é viver com depressão pós-parto.

mae2

Maio foi declarado o mês da conscientização sobre a depressão pós-parto e, como alguém que foi diagnosticada com depressão pós-parto, ansiedade e transtorno obsessivo-compulsivo, eu sinto que está na hora de mostrar a você como isso realmente pode ser, não apenas o meu lado que é ‘válido para o Facebook’.

A verdade é que estas duas fotografias representam minha vida, dependendo do dia. Eu só iria compartilhar uma dessas realidades confortavelmente e este é o problema. A única coisa mais exaustiva do que ter estas condições é fingir todos os dias que eu não tenho. Eu trabalho o dobro para disfarçar essa realidade de vocês porque eu tenho medo de deixá-los desconfortáveis. Eu tenho medo de que vocês vão pensar que sou fraca, louca, uma péssima mãe ou outros milhões de coisas que minha mente me convence e eu sei que não estou sozinha nesses pensamentos“, escreveu ela.

mae

Fotos © Danielle Fantis

Nós temos que parar de assumir que o período pós-parto é eufórico, porque para uma em sete mulheres ele não é. Precisamos começar a perguntar aos novos pais como eles estão de uma maneira mais profunda do que o normal, ‘então, como você vai?’”, salienta. “Precisamos aprender os sinais, sintomas, fatores de risco e planos de apoio para condições pós-parto.

O testemunho foi compartilhado por mais de 70 mil pessoas, que mostram o quanto precisamos escutar mensagens como essa. Kathy termina o desabafo com uma mensagem de apoio a outras mães que estão passando por isso: “Caso ninguém tenha lhe dito, você está fazendo um trabalho maravilhoso. Você é amada e você vale a pena. Você não está sozinha.” ♥

Veja a mensagem na íntegra (em inglês):

Via Hypeness

0 I like it
0 I don't like it