ApresentadoraTiti Müller tem atitude incrível ao precisar anunciar atração machista do Lollapalooza

Ontem, quando chamava o DJ Borgore, a próxima atração do palco Perry do Festival Lollapalooza que aconteceu nesse fim de semana em São Paulo, a apresentadora Titi Müller não hesitou, e disparou na lata: “Na medida que ele foi ganhando visibilidade, as letras compostas por ele, extremamente machistas, misóginas, babacas mesmo, foram ganhando visibilidade”.

Mesmo estando ao vivo em rede nacional, a repórter resolveu não se calar diante de uma atração tão polêmica. É legal lembrar também que um festival conhecido mundialmente e com tanta projeção poderia ter um pouquinho mais de cuidado com a curadoria. 

#LollaNoCanalBis pic.twitter.com/x3Mp20uX31

— Shows Ao Vivo (@Shows_AoVivo) 26 de março de 2017

O músico israelense, que também é apelidado de o “DJ mais odiado do mundo”, já é conhecido por suas letras bastante agressivas, como uma que diz, em citação da própria Titi, que “a mulher deve agir como uma vadia, mas só depois de lavar a louça”.

Antes de chamar a atração, a apresentadora mandou mais uma crítica a transmissão do show de Borgore: Eu gostaria de dizer que machistas ‘não passarão’ neste canal, mas vai passar agora, pelo menos no palco Perry. É isso aí, Borgore, vai que é tua, querido”, ironizou.

titi-muller-lollapalooza

Logo na sequência, Titi voltou ao vivo e anunciou que o show só seria transmitido online pelo canal Multishow. “Lá está o palco Perry na íntegra, sendo machista ou não.”

Em um festival com uma apresentação lacradora como a do Criolo, onde o músico fez discursos importantíssimos anti-machistas pedindo respeito às mulheres, reforçando que “qualquer mulher que você mexer no rolê é um ato de violência. Diga não à cultura do estupro”, a apresentação de um DJ machista como o Borgore é, no mínimo, um papelão. Essa pegou mal, hein Lolla?

Imagens © Reprodução Twitter

Via Hypeness

0 I like it
0 I don't like it