10 dicas pra não ficar na roubada no carnaval de rua do Rio de Janeiro

O carnaval de rua no Rio de Janeiro é garantia da mais franca, ampla e irrestrita diversão. A “permissão” concedida para nós, por nós mesmos, para que uma cidade inteira saia fantasiada à rua, permanece levemente ébria a qualquer hora, e dance de toda forma e em qualquer lugar é uma perfeita combinação que nos pega pela mão e nos leva ao delicioso delírio que só o carnaval oferece. Não é preciso de muito para conseguir toda essa alegria – de maneira geral, basta estar no carnaval.

Dicasblocos7

Essa abundância de felicidade, no entanto, não quer dizer que não existam dicas, sabedorias e práticas que devam ser seguidas para que aquilo que deveria ser a grande festa não se transforme em uma roubada maior ainda – para você, para os outros, para a cidade. Como tudo nessa vida, é preciso saber chegar, estar, permanecer e até mesmo sair do carnaval para que ele seja, como é, a grande festa da carne. E lá vamos nós!

1. Use tênis

Não esqueça: para além do delírio, do álcool ou da festa, frequentar o carnaval de rua, ainda mais se com a intensidade que ele permite e convida, é uma tarefa atlética, uma maratona cheia de obstáculos, uma aventura com potenciais acidentes e perigos no caminho – especialmente para seus pés. Pode ser quente, pode ser feio, pode não combinar com a fantasia, mas ainda assim, pode confiar: chinelos de forma geral são atalhos para a roubada. Use tênis.

Dicasblocos10

2. Beba água

Nessa época do ano no Rio de Janeiro não há muito para onde fugir: ou se está debaixo do sol mais intenso, ou na sombra mas imerso em um calor inclemente. Seja como for, é fundamental beber água – não só para se hidratar, como para amenizar o efeito de se beber cerveja ou o que for de sua preferência às oito horas da manhã, como é de praxe no carnaval de rua carioca. Água, assim como a comida, ajudam inclusive a se evitar a ressaca no dia seguinte.

Dicasblocos4

3. Proteja-se do sol

A dica anterior já anuncia: não acredite em certa brisa momentânea ou em alguma chuvinha eventual, pois quem manda no carnaval do Rio é mesmo o sol. Não é preciso muito para ter de dormir pendurado no varal de tanta ardência (especialmente dependendo de sua fantasia) ou mesmo para apanhar uma insolação. Um forte protetor solar diário é o mínimo, mas vale planejar sua fantasia, se possível, para não permanecer tão exposto. Pensar em roupas leves é também importante para que o calor não te vença na festa – sem desmontar a fantasia jamais, é claro.

4. Mantenha-se alimentado

Se você quer se jogar sem hora pra acabar no carnaval, não invente de comer uma feijoada ou um churrasco antes de um bloco. Por outro lado, tanto quanto hidratado, é muito importante se manter devidamente alimentado. O carnaval consome nossas energias e, aliado a eventuais aditivos, pode nos derrubar exaustos. Uma comidinha leve e frequente ajuda a atravessar a maratona como um perfeito folião.

Dicasblocos3

5. Cuide dos seus pertences

Quanto menos coisas você puder carregar para um bloco, melhor. Há quem saia somente com dinheiro e a chave de casa, deixando telefone e outras iscas eventuais em casa – há até quem vá aos blocos usando uma famigerada pochete, não como uma tentativa de tornar a peça hipster, mas pela necessidade de proteger seus bens. Seja como for, olho aberto: é muito comum ser furtado no carnaval, com destaque especial para smartphones, em especial nos grandes blocos e suas multidões.

O Cordão do Bola Preta O Cordão do Bola Preta

6. Se perder, no carnaval, é também se achar

Especialmente se você não for do Rio de Janeiro (e ainda mais se estiver em um dos blocos gigantes que tomam as ruas da cidade) vale sempre marcar um ponto de encontro entre amigos para que vocês possam se achar ao menos ao fim do bloco. Se você se perder, porém, não se desespere: sempre haverá um bêbado amigo, um novo amigo de infância a ser feito, uma dança no caminho, uma possível paquera, uma cerveja e um papo com desconhecidos. Ninguém está perdido em um bloco – faça amigos, dê uma volta, dance e cante que em breve você encontrará os seus.

7. Seja respeitoso na paquera

Não há mais espaço para o menor sinal de machismo em contexto algum – especialmente na hora de paquerar. O carnaval é o contexto perfeito para o flerte, o beijo, o sexo, até mesmo o amor, mas desde que tudo seja consensual, carinhoso e respeitoso – lembrando sempre que se aproveitar de alguém intensamente alcoolizada é e sempre será abuso sexual. E lembrando: não, é não! 😉

Dicasblocos8

8. Fuja de qualquer confusão

A mesma intransigência com o machismo também há de se ter hoje em dia com a menor sugestão de violência física. Ainda que incomuns, as brigas existem no carnaval de rua carioca – especialmente nos blocos maiores. É uma festa de rua, repleta de bêbados, hormônios em alta, em que tudo pode acontecer. Viu o menor sinal de confusão? Vaie, avise a quem tiver que avisar, mas sempre saia fora, e leve junto os seus.

O Suvaco do Cristo O Suvaco do Cristo

9. Estude antes os temas, horários e percursos dos blocos

Hoje em dia muitos blocos são temáticos – e tem de tudo: diversos blocos infantis, dezenas de artistas homenageados, classes profissionais, ruas, bares, e muito mais. Vale sempre lembrar-se disso antes de escolher seu itinerário – afinal, se você não gosta de Beatles, você não vai querer ir ao Bloco do Sgto. Pimenta, por exemplo. Além do mais, saber o horário e o percurso dos seus blocos preferidos pode ser fundamental, afinal, opções é que não faltam.

Desfile do Sgto. Pimenta Desfile do Sgto. Pimenta

10. Mantenha a cidade limpa

Essa é uma dica para evitar que o seu carnaval seja uma roubada, mas também o dos outros foliões e foliãs, e da cidade como um todo: não suje a cidade. Mesmo que seja difícil encontrar uma lata de lixo, segure sua garrafinha, sua latinha, sua embalagem, e jogue o lixo no lixo. O mesmo vale para o xixi: é difícil segurar, nem sempre você vai encontrar banheiros químicos com facilidade, mas não faça xixi na rua. A cidade, afinal, também é dos que não gostam de carnaval, e ela continua ali o resto do ano – e merece ser cuidada, e fazer xixi na rua é considerado atentado ao pudor.

Dicasblocos11

Pronto! Agora, já pra rua, com purpurina e fantasia dos pés à cabeça – e viva o carnaval de rua!

Dicasblocos9

© fotos: divulgação/Getty Images

Comentários

Via Hypeness

0 I like it
0 I don't like it